Poesias

Francisco de Assis Martins

Titular da Cadeira nº 15

Trilhos da Saudade.

Arrancaram os trilhos do trem.

Os mesmos trilhos, onde ainda ontem eu brinquei.

E neles eu me equilibrava de olhos fechados

só pra vida passar mais devagar...

Arrancaram os trilhos do trem,

e junto, um pedaço meu.

As paralelas linhas sem fim

aonde caminhavam meus sonhos

e nessas linhas podia me imaginar...

- cada dia diferente -

Para onde?

Onde estão agora os meus trilhos?

Onde foram parar minhas pegadas?

Com elas deixei tantas lembranças...

... de uma juventude perdida no tempo

e que nas paralelas não puderam voltar.

Os amigos - como riam...

Num vai e vem bucólico

vida simples e sossegada

tardes de domingo

de mãos dadas.

Arrancaram os trilhos do trem.

Não deixaram nada no lugar.

Levaram nossas lembranças.

E nossos caminhos.

Dormentes.

E nesse descompasso espectral

figuras sem matiz alguma

às vezes me chamam para sonhar...

E elas se enchem de cores

e voltam meus sonhos

e as risadas de domingo

Ouvindo o apito do trem

Mais artigos do Autor.