Crônicas

 

José Solon Sales e Silva

Titular da Cadeira nº 34

AS BOAS HORAS

            São aquelas em que estamos bem. Tranquilos. Em paz com nós mesmos e os outros. Que bom senti-las. As boas horas estão presentes em nossos dias. Precisamos descobri-las... Todos os dias, absolutamente todos. No entanto somos humanos, insatisfeitos, inquietos, egoístas querendo sempre mais e mais e mais.

            Maioria das vezes queremos o mundo e o mundo é feito de boas horas, somente. Nós não as percebemos. As boas horas são tranquilas, cozinhando, comendo, degustando da bebida predileta. Estas são, efetivamente as boas horas.

            A vida deveria ser feita sempre de boas horas. Nunca de insatisfações, de cobranças, de por quês. Mas somos insaciáveis, insatisfeitos, maioria das vezes incoerentes querendo mais, mais e mais. Pra quê. Deveriam existir somente as boas horas. E elas são tantas: o acordar vivo e saudável é boa hora. E agradecemos? Não sei. Quase sempre agradeço, mas nem sempre. Tenho tido poucas e muitas boas horas: quando estou perto de meus filhos, mesmo sem dizer nada; quando vejo um aluno que comunga com meu entendimento de mundo; quando consigo servir a alguém. São boas horas.

            Maioria das vezes não percebemos as boas horas. Discutimos, questionamos, queremos ser o dono do mundo. Ora, o mundo não tem dono. O mundo é o mundo feito de boas horas.

            Que maravilha comermos uma carne de sol, uma panelada, uma alface, um tomate ou o que gostamos. A comidinha do dia a dia. Essas são as boas horas. Que portento conviver com o outro, entendo-o, compreendo-o, mesmo não comungando com o pensamento do outro. Ainda assim são boas horas. Vividas, sentidas, queridas. Boas horas. Momentos. Pensamentos. Vivências. Querências. Boas horas. Agora, enquanto escrevo e enquanto você lê.

            Amo as boas horas. Seria magnificente se só focássemos nas boas horas. Mas... somos fracos. Maioria das vezes acusamos, cobramos e anulamos as boas horas.

            Estou na boa hora. Amo viver, dividir, sentir, servir. Também não consigo viver só em boas horas. Também sou humano. O mundo seria diferente se buscássemos sempre as boas horas. Hora de dormir é bom demais. Hora de comer o que gostamos e apreciamos é estonteante. Hora de brigar e de amar. Hora de viver feliz. Tudo isso são boas horas....

Benfica, 10/10/18 - Aniversário do meu sobrinho primogênito. A você, Sérgio, todas as boas horas de uma vida!!! 

Mais artigos do Autor.