Maria Silonildes de Mesquita

Titular da Cadeira nº 38

 

Aos meus mestres, com carinho!

Minha homenagem aos grandes mestres que passaram e deixaram um legado de aprendizagem com ética, em minha vida.

Cita o grande psicólogo behaviorista, Burshus Frederic Skinner que ao nascer chegamos aqui como uma tábua de passar, sem nenhuma bagagem. Já Carl Gustavo Jung, psiquiatra e psicoterapeuta suíço , o fundador da psicologia analítica afirma que nossa mente já nasce com uma estrutura capaz de determinar seu desenvolvimento no futuro e sua interação com o meio em que vive. Com isto entende -se que já chegamos predispostos para certas habilidades. Ao longo da vida vamos adquirindo com o meio, melhores técnicas para desenvolver estas habilidades. Cada um de nós é único e portanto o nosso despertar para algo vai depender muito da maneira que somos apresentados e tocados por aquele novo que por muito agregamos e internalizamos à nossa bagagem pessoal.

Hoje falo aqui,dos meus grandes mestres que me incentivaram e me impulsionaram ao conhecimento científico. Ao adentrar no meu primeiro momento escolar, lá na minha cidade de Ipu, fui matriculada no jardim de infância do Colégio Sagrado Coração De Jesus, direcionado pelas irmãs de Caridade.Minha primeira professora foi Irmã Lúcia , era uma educadora muito acolhedora e gostava muito de cantar. Para todos os tempos da nossa rotina em sala de aula, tinha uma música e isto internalisei e muito serviu-me para a suposta aprendizagem que viria pela frente. Tudo era nos apresentados em forma lúdica. Eu tenho muito deste aprendizado. Acho que por mais árdua que seja a tarefa, temos que apresentá-la para alguém como algo gostoso e necessária à vida. E daí a execução da mesma será muito mais fácil. Muitas outras professoras passaram em minha vida, mas lá no terceiro ano primário tive uma de nome Ceci Araújo, esta uma candura de pessoa e deixou em mim um legado de amor muito grande. Lá no quarto ano, tive uma também inesquecível, Dona Maria Francisca. Esta tinha muito combustível emocional para alimentar-me, era cheia de histórias de auto-ajuda e portanto eternizou-se para mim. Um ser humano impar, de uma paciência imensa e sempre falava em tom baixo.Tinha muito respeito a sua pessoa e a pessoa do aluno. Uma grande mestra, ensinou-me para a vida! Outra professora que deixou valores e muita ética profissional em mim, foi Dona Valdemira, minha professora de matemática por apenas dois anos. Esta era mestra e professora, nos ensinava para a vida. Também aprendi muito com irmã Maria Costa, uma excelente professora de Português e com ela aprendi bastante.Nas Ciências biológicas tive um maravilhoso e amigo professor de nome Francisco Melo. Também muito exigente, mas sabia ser ético e amigo.Isto guardo dele. Na História Geral tive como professora Iracy Soares. Uma pessoa muito direcionada, de pouca conversa, mas que dava aula de verdade e fazia que estudássemos todo o conteúdo do livro e isto me levou a apaixonar-me por história Geral. Como falei no início, cada um é único e somente nos marcam pessoas que temos algo em comum com elas. Muitos foram meus professores, mas os que mais marcaram minha trajetória estudantil até o fundamental um e dois foram os citados acima.

Já em Fortaleza, tive grandes professores,aprendi com todos, mas poucos também deixaram legados em mim. Na História dois monstros sagrados; Juarez Leitão e Paulo Quezado, com eles apaixonei - me mais ainda pela história. Na verdade davam aulas fazendo com que viajássemos no tempo e estivesse alí vendo o desenrolar da história. Maravilhosos! Na matemática para mim, destacou-se o professor Toní , este apresentou-me à matemática como uma disciplina gostosa e necessária à vida. Me ensinou falar com os números e com as fórmulas.E assim aprendia.Já no Português dois grandes professores marcaram minha trajetória estudantil, sendo eles Costinha e Itamar Filgueira (já em Memoriam) Os dois chamaria também de monstros sagrados, aprendi muito com eles e me marcaram pela paciência que tinham comigo, sendo eles tão renomados.Quando não entendia perguntava, e eles voltavam lá para a base e somente assim conseguia internalisar. Também tive um excelente pfofessor de História Geral de nome Sueltone Montenegro, observava e participava tanto de suas maravilhosas aulas que passamos a ser grandes amigos. Somos uma soma destes bons professores que tivemos. Todos deixaram em mim lições para a vida e aprendizados maravilhosos, mas não marcaram minha trajetrajetória a ponto de não saber nominá-los. Se não lembro é porque não foi Marcante. Já no ensino superior lá na Uva , em Sobral, tive uma grande professora de nome Minerva. Esta também de História geral e por sinal excelente. Só dava aulas audiovisual nos levando a conhecer in loco o velho mundo. Apaixonante suas aulas e eu guardava até os suspiros da Minerva. Esta era uma enciclopédia Delta lá Rússia. Outros professores que deixaram um legado grande de conhecimento e lições para a vida foi Padre Lira,Padre Osvaldo e professor Pedro. Pessoas humanas e sábias e muito me aconselhava com eles. Já em português também tive uma excelente professora, Silonides Dias Ribeiro. Esta era excelente e também muito humana e paciente diante as minhas dificuldades. Muito aprendi com ela. E para que saibam, meu nome foi uma imitação do dela. Quando ela ainda morava e estudava lá em Ipu. Era colega de classe das minhas primas Cassi e Francisca e por ser uma pessoa muito carismática as duas foram a maternidade visitar minha mãe, pois eu havia acabado de chegar ao mundo. Lá chegando pediram para mamãe colocar em mim o nome de Silonides. Daí minha mãe acatou o pedido de suas sobrinhas, mas na hora de fazer meu registro esqueceu e colocou Silonildes, acrescentando o L que fez toda a diferença. Portanto quero aqui ressaltar estes maravilhosos professores e mestres que fizeram a diferença e marcaram minha trajetória estudantil de ensino sistemático. Porque na vida tive grandes professores e grandes mestres em todos os segmentos sistemáticos e não sistemáticos. Nas arte, nas pós graduações, nos cursos livres . Sou uma somatória de todos! Em cima da minha verdadeira personalidade.

Silonildes Mesquita

Fortaleza, 15 de outubro de 2020

Manuel Evander Uchôa lopes

Titular da Cadeira nº 1

 

UM EREMITA URBANO

Em minha juventude na florescente e bela cidade de Ipu, conheci um cidadão, que diziam ser louco; Eu não pensava assim, considerava-o, apenas, um homem de uma mente um pouco perturbada.

Ele era uma figura típica; estatura mediana, maltrapilho e magro, talvez pela má alimentação de que se servia.

Andava pelas ruas e bairros da cidade aparentemente sem rumo, tendo por companhia uma cadelinha magra como ele próprio; Quem sabe, talvez, a procura de seu Cosme, pois todo Damião tem seu Cosme, um irmão.

A meninada, na sua maldade inclemente de criança, atirava-lhe pedras e gritava Pesão, o que o deixava excitado e, assim, ele corria atrás da molecada, mas sem lhe fazer mal.

Era um homem de certa forma espirituoso (filosófico) em algumas de suas respostas a indagações que lhe fazíamos.  Conhecia-nos a todos pelos sobrenomes; Quando nos encontrava conversando ou bebericando em algum lugar da cidade, saia a gritar e espalhar pelas ruas Tavares, Lopes, Carneiro, Aragão e outros...

Damião, em sua inocência de “louco”, nos ensinou algumas lições de humildade, resignação e compreensão com suas respostas “filosóficas”, que certamente muitos de nós, até hoje, lembram.

O tempo passou; Um dia, estando de férias em Ipu, senti falta de alguma coisa; Veio-me à mente a imagem de Damião; Perguntei por ele e me disseram que falecera e estava enterrado no cemitério da cidade, próximo à entrada, ao lado da Capela. Disseram também, que seu túmulo era um dos mais visitados no dia de finados e, que até fazia milagres. Não sei...  Damião, com certeza, não é um Santo cultuado por nossa Santa Igreja Católica; mas, certamente, foi um santo homem, que perambulava pelas ruas de Ipu aparentemente sem rumo, talvez a procura de seu Cosme...; ...” UM EREMITA URBANO ”.