Poesias

Paulo Ronalth Peres Melo

O ouro é depurado num cadinho.

O amor refina-se em humildade.

Ah o amor!

O amor acalma

Qualquer indisposição.

Às vezes acaba em saudade,

Às vezes nunca acaba não.

Ah o amor!

Faz as palavras piscarem

Transcende toda emoção.

Atravessa o tempo,

Ultrapassa os limites,

Para depois o – não –

E o que é o não

Se não em carne e osso!

Ah o amor!

O amor transcende toda emoção.

Muitas vezes o – sim.

Muitas vezes o – não!

 

Mais artigos do Autor.