Poesias

Francisca Ferreira do Nascimento

 

Houve um tempo em

Que minha lagoa

Era limpinha,

Cheia de peixinhos

Felizes no fundo das águas,

E viviam só para brincar.

Houve um tempo em

Minha lagoa de águas claras

Era cheio de patinhos

Que iam nadar.

Houve um tempo em

Que a tardinha meu pai

Ia para a lagoa de água pura

E clarinha somente para pescar.

Houve um tempo em

Que os viajantes

Cansados, exaustos

Entravam na lagoa de água fresquinha

E iam se refrescar.

A minha lagoa era

De água cristalina

E toda a vizinhança

Ia se banhar.

Houve um tempo,

Onde a enchente

Minha lagoa levou,

Mas a natureza

Com muito amor

Minha lagoa arrumou

E a minha lagoa

De água cristalina voltou.

Minha lagoa deu nome

Ao lugar, e todas

As tardes, moças e rapazes

Iam se banhar.

A minha lagoa

Não durou um século,

Pois o progresso

A destruiu e a minha lagoa sumiu.

Quando a deixei

Ela ainda era bela

Mas quando voltei

Nada mais existia nela.

Os peixes morreram,

A água cristalina secou,

E a minha lagoa acabou.

 

Mais artigos do Autor.