Poesias

Maria do Carmo C. A. Magalhães (Carmita)

 

Não é fácil esquecer,

Teu vulto cansado,

Caminhando lento,

Com as marcas do tempo

No teu rosto amado.

Não é fácil esquecer...

As conversas na calçada...

Tua cadeira na sala,

Enfi m, cada canto da casa

Lembra-me de ti.

Não é fácil esquecer...

Esta cruel realidade,

Cruciante, tamanha saudade

Dor, que dói demais.

Pensar em ti ver – nunca mais!

Mais artigos do Autor.