Poesias

Antonio Carlos de Martins Mello

Luar, que banhas esta grã cidade

e te extasias com seu reboliço,
sei que daí da magnificidade
olhando embaixo neste precipício,

hás de cobrir da luz com o artifício,
dando ao escuro a luminosidade,
o pé-de-serra que é minha saudade
e onde meus olhos viram desde o início,

pois pisca em cima de tantas lembranças,
prá ver se estão de mim já esquecidas...
Mas se com os raios nada mais alcanças,

cita de cor as confissões doridas
da juventude, que era quase infância,
pois revivê-las é viver mil vidas!

Mais artigos do Autor.