Poesias

José Júlio Martins Torres

 

Ipuarana querida,

Pedaço da minha vida,

Teus alunos onde estão?

Um vento forte os levou,

Pelo mundo os espalhou,

Muitos não sei como vão.

Querida Ipuarana,

Foste então mãe cigana,

Filhos no mundo espalhaste?

Eu fui muito mais que isto,

Dei-lhes o amor de Cristo

Que espalham por toda parte

No Brasil e exterior

Já mostraram seu valor,

Em tudo se destacaram.

No meu jubileu de ouro

Ganhei um belo tesouro:

Muitos aqui retornaram.

Eu nem sei quantos vieram,

Mas sei que todos trouxeram

Muito amor no coração.

Felizes se abraçaram...

E muitos até choraram,

De tão grande a emoção.

Brincaram como crianças,

Desenterraram lembranças

Dos dias da mocidade.

Mocidade franciscana,

Vivida em Ipuarana,

Que em todos deixou saudade.

Saudade: das brincadeiras,

Dos pés de jambo e palmeiras,

Do majestoso Tambor;

Também dos ensinamentos

Ministrados com talento,

Dedicação e amor.

Vi que aprenderam a lição.

Em toda parte que estão,

Sei que ali também estou.

Vi que a parte franciscana,

Herdada de Ipuarana,

Esta o vento não levou...

José Júlio Martins Tôrres (1990)

(Tôrres: Ipuarana: 1964 a 1967)

Mais artigos do Autor.