Poesias

Maria de Lourdes Mozart Martins Moura

 

Saudade quando grande

De tão grande extravasa pelos olhos

Vira lágrima.

Saudade quando grande

De tão grande petrifica

No coração

Saudade quando grande

De tão grande se entranha

No nosso ser, vira dor

É um aperto no peito

Difícil de descrever

Vira companheira

Sem ti não sei viver.

Mais artigos do Autor.