Poesias

Abílio Martins

Patrono da Cadeira nº 12

 

Bilhete à Francelina

Ah, minha filha, eu te mando

(E estou certo que ele vai...)

Nos versos que estou traçando,

O Coração de teu pai.

Meu coração é sujeito

Alvoraçado na vida:

Já está batendo no peito

Como quem está de partida.

Ah, que ele é tão teu amigo

Que, embora siga sozinho,

Para encontrar-se contigo

Duvido que erre o caminho!...

 

Observação:

Versos datados de agosto de 1919. Quatro anos depois, aos 39 anos, Abílio Martins morre em consequencia de um infarto.

 

Mais artigos do Autor.