Poesias

Maria Silonildes de  Mesquita

Titular da Cadeira nº 38

 

FESTA DE JANEIRO!

Quantas saudades...

Das idas festas de Janeiro 

Das novenas do padroeiro

Dos romeiros cheios de fé 

O pátio da igreja Matriz todo iluminado

Cada dia a alegria era renovada

Vinha gente de todos os lugares

Com todos os gostos

Vestidos enfeitados com laços de fita

Assim as meninas ficavam mais bonitas!

Sapatos de verniz com meias Guto

Era a moda da época !

Após a novena a alegria era maior

A pracinha de Iracema nos esperava

E lá,  muitos amigos já estavam!

Agora a festa ia começar 

Eram risadas

Conversas engraçadas 

Muita imaginação 

Num mundo em ebulição 

Um vai e vem de gente feliz e perfumada

Crianças acompanhadas dos pais, para todo lado

O laguinho de Iracema era por todos apreciados 

O paredão já estava repleto de gente do apartheid

Uns em pé, outros sentados

Todos festivos e arrumados,

Mas nos sonhos pueris de Criança menina

Nas canoas, com as amigas tinha que balançar 

Degustar algodão doce e 

Na roda gigante passear

Era uma sensação de desafio

De liberdade

De superpoder

Sentia até vontade de gente grande ser!

Mas confesso que sentia um friozinho na barriga 

Lá de cima vivia meu instante Ícaro,

Fechava os olhos e me via voando 

Lá embaixo tudo era pequenininho 

Quando a Roda Gigante parava

Meu pai ali já estava

Para casa nos levar

Descia já me sentindo triste

Por ver aquela noite terminar. 

(Entenda cabeça de Criança!) 

    

 

Mais artigos do Autor.