Poesias

Titular da Cadeira Nº 15

 

Sabiá! Boêmio na madrugada vem cantar
Embalando meu poema e a me acompanhar
Começa as três de mansinho o seu belo trinar
No galho da laranjeira canta... canta sem parar
 
Fico lhe ouvindo. Nele busco a inspiração
Das teclas do meu “pc” brota a minha canção.
Canto de amor ele entoa e de tristeza também.
Enquanto eu o escuto silente e sem ninguém.
 
O dia já vem chegando, o sol nascendo,
E o canto do sabia desaparecendo.
Há gente passando apressada na rua.
 
O sol brilhante vem ocupar o lugar da lua
No galho da laranjeira o cantor não mais está
Aguardarei a noite à volta do boêmio sabiá.

Mais artigos do Autor.