Poesias

Francisco Araújo

Patrono da Cadeira nº 28

 

Ipu

Bendita seja a terra verde e nua

Brotada aos pés de esbelta serrania,

Onde há paz que conforta, onde há alegria,

Onde é mais fértil o solo, mais doce a lua!

 

Onde os ventos em louca sinfonia

Se contorcem vadios pela rua

Beijando o canavial que o sol estua

Indo morrer de encontro a serra esguia.

 

Onde estribilham os pássaros garridos

Com a CASCATA DE CRISTAIS partidos

Que do trabalho abrupto se desaba!

 

Bendita sejas tu, formosa e rica

Com a canção do lentíssima da Bica

E os cochichos sonoros do Ipuçaba.

 

Mais artigos do Autor.