Poesias

Titular da Cadeira Nº 09

Águas sagradas das minhas nascentes!

Águas que curam, saciam minha sede!

Banha o meu corpo exausto,

e como um mistério, me revigora.

 

Águas sagradas que brotam da terra!

Contornam caminhos, formando córregos,

e  em ziguezague embeleza quintais,

encanta  o nativo, impressiona  as aves e os animais.

 

Águas sagradas que lá da montanha,

vem  de mansinho, pura e tranquila,

desagua  veloz no paredão, formando  a minha bela cascata

que escorre às vezes cor de prata e me faz a nativa mais feliz deste recanto.

 

Águas sagradas quando desaguam,

forma o meu Ipuçaba!

Com sua pureza, encanta Tupã,

que fica radiante diante de tanta beleza que surge no seio desta natureza.

 

Águas  sagradas, guardo na lembrança,

o teu doce sabor,

o teu cheiro inocente,

o borbulhar das nascentes,

a riqueza que trazes para banhar o sertão,

e saciar a sede dos meus irmãos!

Mais artigos do Autor.