Poesias

Titular da Cadeira nº 15

Sombras surgindo de alvoradas frias

Numa eclosão de dúbias silhuetas
Surgem da luz estrelas e cometas
Flutuantes, exóticas, vazias.

 

Sombras bailando em siderais
Ao som furtivo de ideias – trombetas.
Entre perfumes de rosas violetas:
Sombras jogando para o céu magias.

 

E entre as evoluções daquelas sombras
Brotam canções surdinas das alfombras
De nebulosas níveas e estalares...

 

E as sombras virginais rodam graciosas
Ao ritmo das ardentes nebulosas
Abrindo os braços como nenúfares.

Mais artigos do Autor.