Poesias

Maria de Lourdes Mozart Martins Moura

Titular da Cadeira nº 35

A Chuva

Como é bom ver o céu escuro

Num prenúncio que a chuva vai chegar,

Na medida certa, nem muito, nem pouco.

 

Vem chuva, vem logo,

Vem molhar os meus cabelos,

Vem molhar os meus pés,

Vem lavar meus sentimentos,

vem molhar o chão,

fazer a flor nascer,

encharcar o meu coração.

 

Vem chuva, vem logo,

respingar pelo telhado

do alpendre da casa grande

nas noites escuras do sertão,

vendo o brilho do relâmpago,

ao som do trovão.

Mais artigos do Autor.