Poesias

Maria da Conceição Viana

Ex-titular da Cadeira nº 16

Sob o signo da linfa prateada

Que vivifica a gleba ao seu sopé,

Nasceste Ipu, no poema do bardo,

A levar sua voz num canto de fé.

 

No tempo que passa, que avança, tu marchas,

Através da lida, da luta prá história,

Que há 100 anos rege o ideal de teu jovem,

Construindo o porvir – o futuro, tua glória!

 

A taba guerreira gerou tua raça,

Dos mares bravios, o homem branco surgiu,

Edificando na terra a nação varonil!

Conquistando da tribo a flor mais formosa!

 

A buscar progresso, do passado surges,

Portanto lembranças de lutas renhidas.

Trazendo ao presente a tradição honrosa,

Que é louro ao ideal e às batalhas vencidas!

 

Bendita sejas tu, Ipu doce terra!

Que teu cenário sempre, seja musa imortal

Na rima do poeta que há na alma da gente,

A cantar tua saga num hino triunfal!

Mais artigos do Autor.