Poesias

Francisca Ferreira do Nascimento

Titular da Cadeira nº 9

Houve um tempo onde a escuridão     

 invadia  todo o Mundo!   Um breu!

 Então o homem percebeu que não podia  mais viver naquelas trevas e.....

 Houve um tempo para tudo.

 O homem despertou!

  As  paredes  rabiscou!

  Houve um tempo para tudo!

  Primeiro o homem pensou,

   despertou, observou.

   Nas paredes seu bilhete deixou.

   Então o homem leu o mundo,

   tudo que era trevas .....brilhou!

   O homem acordou! Despertou.....

                          Na parede rabiscou!

                          Seu bilhete deixou!

Então leu o mundo? Leu todo o mundo?

                        Com um olhar curioso....

                        Leu o mar, leu os rios, leu as plantas,

                        Leu as flores, e todos os animais!

Leu todos os animais?

                        Pois leu!

                       Leu tanto os animais que.....

Leu  tantos os animais que sua primeiro escreveu,

O bilhete sobre o  animais,

Na parede da caverna!

Leu demais!

Seria um bilhete?

                          Uma carta, um  e - mail?

                           Um e-mail?   KKKKKKK.

E- mail não sei......mas sei que aquele desenho era,

                             Uma manifestação do registro da escrita.....

                            Que o MUNDO inteirinho conheceu!   

O homem primeiro leu!

                           Só depois escreveu!

                           Leu e escreveu.......

Leu e releu o mundo em que viveu.....

                          E só depois escreveu!

                          Escreveu por necessidade,

                          Não é assim as coisas da humanidade.....

                          Tudo nasce da necessidade.    

Que grande era, era aquela.....

                        Onde só se caçava, pescava e plantava por necessidade.

                         Primeiro leu...e leu bem.....

                         Leu a natureza, os rios, as matas, os animais, as estrelas do céu,

                          Leu a Lua, leu o Sol.....leu e compreendeu......

                          Compreendeu e escreveu,

                          Que a Lua e o  Sol poderia ser deuses.  

Valeu! E o que era trevas virou luz, virou luzes,

                         Através da leitura, do mundo da natureza tudo aconteceu!

                         Ao longo do tempo, ao longo das eras, os desenhos e rabiscos,

                        Viraram registros.....

                        A humanidade acreditou....

                        Cidades surgiram...... sociedades formadas.....

                         Mais necessidades surgiram....

                        E a leitura e a escrita.....se modificaram.......

e aqueles recados, bilhetes, ou cartas deixados em forma de desenho.....

                          Ficaram além e novas formas foram criadas, ora reinventadas....

                           Surgiu, as letras para melhorar , o jeito do homem de se comunicar.....

                          Novas civilizações, implantaram regras, leram e releram,

                          Mas não conseguiram ensinar um jeito do homem deixar de ler o mundo.

Aquele mamute assim enorme.....

                          Seria uma carta, um bilhete?

                         Só sei que não sei.....mas valeu!

                          Só sei que o homem sentiu necessidade e leu e escreveu.

                          Ficou na memória, faz parte da História,

                         Que o homem sempre leu e escreveu.

Você pode me contar se os habitantes deste lugar...

                          Lia e relia o mundo em que viviam?

                          Sei que liam e também reliam,

                           Escritos deixaram, mas o que era mais forte

                           Era  a sua oralidade, que ficou na História deste lugar, aqui e acolá....

E tinha escolas? Currículo escolar?

                         Tinha tudo isso.

                         Quando chegava a tardinha....ao redor da fogueira,

                         o pajé reunia aqueles curumins.

                           E a aula começava.....o conteúdo era interdisciplinar....

                          De tudo aprendia, desde a matemática até astronomia.

E eles liam? E escrevia?

                         Liam a floresta, contava os pássaros, que eram demais,

                         Liam e releiam as fases da Lua....

                         O pajé era o grande pedagogo aqui deste lugar....

                         Mas o sistema escolar era bem diferente....

                         Porque   aquela gente aprendiam e apreendiam coisas do lugar....

E esses ensinamentos para sempre ficou, se imortalizou,

                        O pajé nada escreveu, mas a sua oratória, ecoa no lugar,

                        O respeito a fauna, a flora do lugar, o amor as matas e o povo do lugar.

                         Não deixaram escritos mais os ensinamentos nos deixaram saudades.

                        Ainda vou encontrar o currículo escolar que ensinava aqueles habitantes a respeitar este lugar.

Mais artigos do Autor.