Poesias

Francisca Ferreira do Nascimento

Titular da Cadeira nº 9

Esta menina,

é tão delicada,

é tão manhosa.

Parece uma rosa.

Menina de lua,

menina  aluada,

menina  dengosa.

Menina de lua.

Esta menina,

é  tão talentosa

é  tão  delicada

é  muito manhosa.

Menina de lua,

menina aluada,

menina dengosa.

Menina de lua.

Esta menina,

é  tão preciosa,

é  tão atenciosa,

é tão manhosa.

Menina de lua,

menina aluada,

menina dengosa,

Menina de lua.

 

Esta menina,

é tão perfeita,

é tão prudente,

é tão delicada.

Parece uma flor.

Menina melindrosa,

menina cheirosa.

Tal qual uma rosa.

Esta menina faz travessuras,

atravessa  a rua,

quase  nua,

corre atrás da pipa,

corre atrás do gato,

pula amarelinha,

pula corda,

sempre na linha.

Esta menina,

é  tão esperta,

é  tão sapeca,

é  tão dengosa.

Cheia de manha,

cheia de brilho.

Menina de lua,

quase nua.

Anda na rua.

Segue o percurso do rio.

Toma banho na nascente.

Semeia sementes.

Menina de lua,

menina aluada,

menina sapeca,

menina atrevida,

Menina de lua.

Quando chega,

a noite a menina adormece.

E quando o sol nasce

tudo começa novamente.

Ah! Menina de lua.

Mais artigos do Autor.