Poesias

Maria Vanda Torquato Scorsafava
Titular da Cadeira nº 24

Todo professor é clarão

Que no meio da multidão

Parece diamante

E tudo que faz

é fibra em pequenos bocados

Vai moldando o ser pequenino

na intensa luz

no espaço e no dever

Dá comida às criancinhas

E limpa o pó dos seus sapatos

E a felicidade

será ler o nome do menino

e definir o destino na vida

como o caminhar na concretização

do desejo, no breve contorno do sonho.

No fundo dos territórios da alma

Como um menestrel canta:

Sou animal aprisionado

no trabalho e no dever

sou a estrela deserdada

como instrumento da Nação.

Sou professor

onde reinvento as quietudes do pensamento

Sou sombra que brilha,

magia, estrela-guia e com elas

me perco e me realizo

 

 

Mais artigos do Autor.