Aninha Martins

(poetisa)

 

Imprevisibilidade

De repente, me vejo

Sem me enxergar

Caminhando na escuridão

Com passos firmes,

Cheios de cautela

Pavorosa,

Sigo em frente

Sem saber

Do futuro

Mesmo daquele tão próximo!

Continuo andando

Carregando pesos,

Da dúvida e incerteza,

Dos pensamentos pavorosos

Mas no coração

Uma leve esperança

Que a fé me traz

Tranquilizante da alma

Porém, nada consigo visualizar

E, na incerteza

Entro na tempestade

De pensamentos confusos...

Alguém me acalma,

Segura minha mão

Sem ver Seu rosto

Sinto apenas, Sua mão

Que me guia

Por caminho reto

Mesmo na escuridão.

Percebo que há pessoas

Andando comigo

Perdidas na imensidão

Tão distantes e frias

De poucas,

Escuto a voz

Dizendo que ali, estão.

Continuo a caminhada

Sem ver uma luz,

Uma chama, sequer

Sem saber até quando

Vou ter que no escuro,

Caminhar.

Subcategorias