Discursos

MARIA SILONILDE DE MESQUITA - Titular da cadeira n° 38

Discurso de Posse

 

          Sr Claúdio Cesar Martins, presidente da academia ipuense de letras, ciências e artes, autoridades presentes, senhoras e senhores acadêmicos, meus familiares, amigos e demais convidados.

      Nesta digna casa da cultura Ipuense, caberá a mim ocupar a cadeira nº 38. Registro que é uma honra e uma responsabilidade suceder  o patrono desta cadeira Oséas Martins,admirável pessoa humana que, com o vigor  da sua personalidade e o poder da sua inteligência, deu densidade própria ao nosso Ipú pela sua notável atuação nos múltiplos e diversificados campos da vida a que se dedicou. Nascido em Ipú no ano de 1915. Filho do senhor Marins Jorge e Dona Vicência Jorge e irmão de Antônio Martins Jorge. Foi Bacharel em direito, jornalista ilustre no Rio de Janeiro. Casado com a senhora Julita, onde residiam na rua Inglês de Sousa, na Gávea. À sua memória rendo aqui minha justa homenagem.

          Como meu antecessor da cadeira 38, tivemos o acadêmico Dr Vladimir Ximenes Mourão, homem carismático e libado, o mesmo foi meu odontólogo quando eu ainda jovem morando em Ipú.

          Me sinto muito próxima aos meus dois antecessores, pois lendo e conhecendo a vida de cada um, descobri entre nós os  mesmos ideais, como; o gosto pelas letras, pela política, porque também fui assessora parlamentar, e o desprendimento para servir ao nosso próximo…..

          Levei tempo para amadurecer a ideia e aceitar o convite. Portanto, me sinto honrada e desafiada a mudar paradigmas e tornar esta academia um local mais acessível, prazeroso e convidativo, onde jovens possam frequentar para discutir a cultura da nossa cidade. Sabendo que é um ousado desafio, pois somente não basta escrever e fazer artes faz-se necessário utilizar  as ferramentas que eles dominam, como as redes sociais. O desafio está lançado e convido cada um dos presentes a abraçarem esta luta e fazer uma academia diferenciada e abraçada também pelo público jovem. Afinal; são eles que nos sucederão e se não incentiva´-los como ficará  nossa cultura nas décadas futuras ? Sabemos que, às vezes ,os livros invisíveis nascidos da  generosidade para com o próximo, são tão importantes quanto aqueles que levam escritores a ocupar uma vaga na academia de letras.

 

           Permitam-me citar o ensinamento e a clareza na valoração da palavra como expressão política do filósofo da linguagem Mikhail Bakhtin. Professa ele; “ A palavra penetra literalmente em todas as relações entre indivíduos, nas relações de colaboração, nas de base ideológica, nos encontros fortuitos da vida cotidiana, nas relações de caráter político. As palavras são tecidas a partir de uma multidão de fios ideológicos e servem de trama a todas as relações sociais em todos os domínios. É , portanto,  claro que a palavra será sempre o indicador mais sensível de todas as transformações sociais, mesmo daquelas que apenas despontam, que ainda não tomaram forma, que ainda não abriram caminhos para sistemas ideológicos estruturados e bem formados. A palavra constitui o meio no qual se produzem lentas acumulações quantitativas que ainda não tiveram tempo de adquirir uma nova qualidade ideológica, que ainda não tiveram tempo de  engendrar uma forma de ideologia nova e acabada. A palavra é capaz de registrar as fases transitórias mais íntimas, mais efêmeras das mudanças sociais “

           Hoje é um momento muito especial na minha trajetória de vida e gostaria primeiramente de fazer alguns agradecimentos; pois como dizia William Shakespeare; “ A gratidão é o único tesouro  dos humildes “  Primeiramente quero agradecer a Deus, o GRANDE arquiteto do universo e SENHOR da minha vida. Assim também aos meus confrades pelos votos de confiança refletidos em minha eleição, no total 17 votos. Dentro desta oportunidade ímpar com a qual me presenteiam, venho para contribuir e inovar. Não posso, entretanto, deixar de mencionar o especial agradecimento as minhas amigas e também acadêmicas Ana Lucila Aires Martins e Lourdes Mozart. Foram elas as incentivadoras e responsáveis pela iniciativa e decisão de minha candidatura à uma cadeira nesta casa, e as quais  rendo aqui minha eterna e sincera gratidão. O mesmo sentimento devoto aos meus pais: Antônio mesquita Martins ( Parente ) e Maria de Lourdes Carneiro Mesquita ( ambos in memoriam ), dos quais sempre pude obter o amor e conforto  familiar e o incentivo para o conhecimento acadêmico sistematizado, suportes estes que também tenho recebido de meus familiares como sendo; irmãos, tios, sobrinhos, cunhados, primos, meu esposo; Jackson Aristóteles e meus filhos; Ismael, Phillipe, e Pedro Albert ,aqui presentes, aos quais sou extremamente agradecida, por me incentivarem e aplaudirem.

          Senhor Presidente, ilustres acadêmicos, senhoras e senhores convidados, dentro deste ambiente literário, peço permissão, ao concluir minha mensagem , de referendar o imortal William Shakespeare com o seu poema;” O Menestrel.” Onde nele vejo retratado também, o meu modo de pensar e de ver a vida.

O Menestrel - William Shakespeare

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.

Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la
E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…
Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.

Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…
Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…
Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não para para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

          E aqui me despeço, dizendo que este momento ficará registrado no meu coração e na minha memória. meu muito obrigada a todos.

 

Mais artigos do Autor.