Crônicas

Maria Silonildes de Mesquita

Titular da Cadeira nº 38

Dor e suplica de uma mãe que perdeu seu filho no Natal da vida !

 

                Então é natal outra vez! Que data linda e marcante para a humanidade cristã ! Todos os meus natais sempre foram de muitos sonhos e alegrias! Quando ainda criança pequenininha, esperava esta noite tão falada pela boca dos adultos, como se fosse à noite e o dia mais especial do mundo!. Na verdade era, porque quando amanhecia o dia , logo ao me mexer na cama ,lá estavam muitas balas de várias marcas, colocadas para mim. Ali era como o melhor doce da minha vida! Ao colocar o pé no chão via logo o presentinho deixado pelo papai noel, ou melhor meus pais. Era uma gaita, uma bonequinha de plástico, uma bola, mas a alegria era grande porque a fantasia tinha sido muito maior! Mais tarde todos da família sentavam ao redor da mesa grande, para o farto almoço do natal. O tempo foi passando e eu mais ia tomando consciência do natal. Noite linda e iluminada, onde um Deus menino era nascido e trazia tantos presentes espirituais e materiais. Um dia , na verdade descobri que natal era o aniversário de Jesus e descobri que teríamos que presentear este menino e me perguntava com quê? Então aprendi que no natal devemos ficar felizes porque o aniversariante é Jesus e que não mais era necessário ganharmos presentes materiais e sim presentes espirituais. Agora nós é que daremos para Ele. presentes como;  perdão, amor, solidariedade e a união dos povos. Daí comecei ficar feliz e amar verdadeiramente o natal!

              Todos os anos no mês de dezembro fico muito feliz e me alegro muito, monto uma árvore de natal, faço arranjos natalinos, apronto a mesa para receber uma rica e farta ceia de natal. Os meus filhos sempre foram acostumados a isto. Mas neste ano os intempereis da vida me tiraram um dos meus três anjos do natal! E agora menino Deus, o que vou fazer no Natal ? Será que aquela alegria voltará um dia ? Choro, me descabelo e não encontro solução e nem esperança de cura para tamanha dor. Me ensina ser forte para conviver com a perda, e a vergonha e dor de ter fracassado. Como vou viver se um pedaço meu foi arrancado de mim tão covardemente! As luzes do Natal se apagaram , a minha casa ruiu, e a minha dor é infinita. Meu Deus menino, vem me socorrer, vem me tirar esta flecha que foi cravada em meu peito para que o natal volte a ser iluminado em meu coração, em minha vida e na vida dos meus outros anjos de natal!

              Lá fora todos comemoram!  uns com orações , outros com presentes e cheiros caros, outros com suas mesas fartas , iluminadas e revestidas das mais gostosas iguarias, mas eu, pobre rica mãe! já não tenho mais forças e não encontro motivos para disfarçar minha dor e mentir para o mundo e dizer feliz natal!. Perdão menino jesus, perdão minhas filhas, perdão meu marido, perdão meus amigos, perdão se não estou agindo com coerência ao que sempre preguei como: força ,fortaleza, fé,perseverança, seguir em frente. Eu estou fraca, sem forças e não tenho por eu mesma pretensão de seguir em frente! Eu preciso de sua luz, sua estrela guia do natal para envolver-me iluminar-me! Não me deixa cair na cova escura e viver por viver sem mais ter a vontade de ver as luzes do natal! Por tudo que eu fui e um dia preguei para muitas criatura, acolhe-me , acode-me, me torna forte, retira de mim esta flecha do peito, sara esta dor que me leva a transformar-me no rio que não para de escorrer lágrimas. Cuida do meu anjo do natal ou leva- me de vez para junto dele, envolve o com teu amor perfeito! Tem misericórdia de mim e me dê forças para viver, faça isto por amor de mim e dos outros dois anjos que tanto sofrem com esta ausência de natal ! Tenho que parar e voltar a realidade. Não queria ir mais para ela , queria somente ficar escrevendo, escrevendo e falando das minhas luzes de natal que eram tão vivas e conseguiram se apagar. Ajuda-me meu Deus menino, torna a iluminar o meu natal ! Escuta meu Deus o meu grito de dor e desespero, em nome da estrela guia de Natal que é JESUS.

Mais artigos do Autor.