Aninha Martins

Professora e poetisa ipuense

 

Seguiremos sempre unidos!

E, de repente... Tão de repente! Formou-se uma tempestade gigante e uma pesada nuvem escura pairou sobre o mundo. Nos recolhemos, procurando nos abrigar e abrigar os nossos. Procurando nos defender...

E assim, passamos por dias totalmente escuros, nos sentindo desolados e perdidos... Mas a vida continuava e precisávamos seguir, seguir ao lado dos outros. Mas como?

Foi aí, que todos, em seus lares, começamos a buscar uma maneira, eficaz e segura. Todos tentando, errando, acertando, divergindo e buscando apoio... E como dar as mãos? Se não podemos nos tocar? Até que desenvolvemos uma maneira infalível de nos tocarmos e nos unirmos pelo coração. Uma forma de dar assistência aqueles que precisam e/ou dependem de nós...

Foi mais ou menos assim... Vestimos nossa capa de coragem, empunhamos nosso escudo de entusiasmo e seguimos em frente, dando as mãos aos que encontrávamos pelo caminho, cheio de obstáculos e muitos desafios, mas sempre confiantes.

Lutamos contra um inimigo poderoso que não conseguimos enxergar, mas firmes e fortes porque somos muitos e a união nos faz maiores.

Então, usei essas metáforas para amenizar o árduo trabalho que estamos desenvolvendo a cada dia, em meio a tantas incertezas, medo e vontade de acertar. Somos, realmente, heróis e heroínas, uma vez que temos que trabalhar dobrado, sem hora certa pra começar ou terminar, nos reinventamos a cada instante e, somos desafiados a lidar com o novo. Precisamos de apoio e compreensão em cada vez que cometermos algumas falhas. Queremos entendimento para conseguirmos fazer o nosso melhor e atender aos nossos alunos e ter a parceria dos pais que, nesse momento são também, mediadores de conhecimentos. Precisamos de espaço e sermos acolhidos para diminuir nossa carga que, embora a carreguemos com satisfação e amor, às vezes, pesa. Mas, ao mesmo tempo, se torna leve, pois dividimos um pouco com cada um que nos dá apoio, que se une a nós.

Seguiremos sempre, UNIDOS!