Artigos

Abilio Lourenço Martins

 F r a n z    J o s e p h    H a y d n    

Rohrau (Áustria), 31 mar 1732   -   Viena (Áustria), 31 mai 1809

 

Foi na pequena Rohrau, entre Viena e Bratislava (Eslováquia) onde nasceu um dos grandes talentos da música clássica – Franz Joseph Haydn.

Seus pais, modestos, foram incentivadores na formação musical do filho.

Quando tinha por volta de 6 anos, Joseph Hydn revelou facilidade para cantar, o que atraiu a atenção de um parente que o levou para a cidade vizinha de Hainburg para receber os primeiros ensinamentos de teoria musical e canto.

Durante uma apresentação do coral, o mestre da prestigiosa Catedral de Santo Estêvão, em Viena, o convidou para fazer parte do seleto grupo de seis jovens cantores que recebiam pensão completa para estudar na importante escola.

Ao concluir o ciclo como cantor infantil, Haydn decidiu não voltar a Rohrau. Arriscou ficar em Viena para se dedicar exclusivamente à música.

Aos 25 anos, em 1757, foi contratado pelos Morzin, tornando-se mestre de capela dessa aristocrática família de Viena.

Em 1760 casou-se com Maria Anna Keller, irmã mais velha de Therese, por quem havia se apaixonado anos antes e que havia ingressado na vida religiosa. Este casamento foi conflituoso: não tiveram filhos e a infidelidade foi mútua.

Com a dissolvição da orquestra dos Morzin foi contratado pelo príncipe Paul Anton Esterházy, onde trabalhou ininterruptamente por 33 anos, dos 29 aos 62 anos de idade, permanecendo ligado a eles até o final da vida.

Em 1783 encontra-se com Mozart pela primeira vez. Este tinha para com Haydn uma grande admiração. A amizade tornou-se mais sólida após Haydn ingressar na maçonaria. Foi nesse período que Mozart dedicou ao amigo as seis obras conhecidas como “Quartetos de Haydn”.  

Com a morte de Esterházy, Haydn ficou livre para fazer outras apresentações, inclusive turnês pelas principais cidades europeias. Em Londres, era idolatrado. A imprensa britânica chamava-o de “Shakespeare da música”.

A caminho de Londres, ao passar por Bonn, foi apresentado ao imberbe Beethoven.

De volta a Viena, em 1792, Beethoven o procurou para receber algumas aulas de música. Não durou muito. Beethoven era inquieto, intempestivo.

Nos seus últimos anos de vida, Haydn recebeu inúmeras homenagens e reconhecido pela crônica musical como um dos maiores músicos da época.

Seu sucesso não foi maior porque foi abafado pelo talento dos dois maiores músicos da história da música clássica: Mozart e o garoto Beethoven.

Abilio, 4 abr 2015.

Mais artigos do Autor.