Artigos

Cláudio César Magalhães Martins  -  

Titular da Cadeira Nº 11

 

A mentira é tão antiga como a humanidade. A primeira mentira de que se tem notícia foi pregada pelo demônio que, em forma de serpente, induziu Eva ao pecado original, afirmando que, se ela e Adão comessem do fruto proibido, se tornariam iguais a Deus, conhecendo o bem e o mal (Ver Gên 3, 1-5).

            O preço pago por Adão e Eva por terem acreditado  nessa mentira foi altíssimo: ambos foram expulsos do paraíso (Ver Gên 3, 21-24), passando a sofrer agruras que nunca haviam experimentado antes e que deixaram como herança a todos nós, seus descendentes.

            Recentemente, assistimos, no Brasil, a um festival de mentiras pregadas pela candidata petista Dilma Rousseff que, na ânsia de reeleger-se, afirmou, dentre outras coisas, que, em hipótese alguma, iria retirar direitos trabalhistas, não iria promover nenhum ajuste fiscal, nem aumentar o preço da energia elétrica e dos combustíveis. Tudo isso, segundo ela, era intento de seu adversário, Aécio Neves, caso eleito fosse.

            Menos de 3 meses depois de reeleita, Dilma passou a realizar exatamente o contrário do que havia prometido, cometendo o que vários analistas denominam "estelionato eleitoral."

            O preço que ela está pagando é deveras elevado: perda de credibilidade, decepção da maioria dos brasileiros, ameaça de impeachment, inclusive por parte de muitos que votaram nela. Basta que se diga que, na última pesquisa, a presidenta experimentou uma imensa rejeição, beirando os 70%. Será que valeu a pena mentir ?

            Vários filósofos e pensadores, ao longo da História, condenaram a mentira. Abaixo, menciono o que afirmaram alguns deles:

            "Que vantagem têm os mentirosos ? A de não serem acreditados quando dizem a verdade."

                                                                                                                                   Aristóteles

            "Uma mentira pode salvar teu presente, mas condena teu futuro."

                                                                                                   Buda

            "Para não mentir, não é necessário ser santo. Basta ser honrado, porque não há coisa mais afrontosa, nem que maior horror faça a quem tem honra, que o mentir."

                                                                                                          Pe. Antônio Vieira - Sermões

            "Fiquei magoado, não por teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te."

                                                                                                       Friedrich Nietzsche

            "Aquele que diz uma mentira não calcula a pesada carga que põe em cima de si, pois tem de inventar uma infinidade delas para sustentar a primeira."

                                                                                                                                                 Alexander Pope

 

            Em conclusão, podemos dizer que a mentira, embora possa parecer, à primeira vista, um expediente útil e valioso para o mentiroso, cobra deste, no futuro, um altíssimo preço, o qual, muitas vezes, o condena, inexoravelmente, a ser um pária da sociedade.

Mais artigos do Autor.