Artigos

Titular da Cadeira nº 12

O   Temperamento

 

“Não existe nada mais fascinante a respeito do homem do que o seu temperamento! É o temperamento que supre cada ser humano com as qualidades marcantes de singularidade que o tornam tão individualmente diferente de seus semelhantes como os diferentes contornos que Deus deu aos flocos de neve”

Essas palavras do escritor By Tim LaHaye expressam a essência de uma verdade tão presente.

Antes, necessário se faz dizer que todos nós herdamos um temperamento básico dos nossos pais, o qual contém forças e fraquezas, virtudes e defeitos.

Entretanto, para compreendermos satisfatoriamente seu controle sobre as nossas ações e reações, devemos fazer uma distinção cuidadosa entre temperamento, caráter e personalidade.

O Temperamento é a combinação de características congênitas que subconscientemente afetam o procedimento do indivíduo.

O Caráter é o resultado do temperamento natural, burilado pela disciplina e educação recebidas na infância, pelos comportamentos básicos, crenças, princípios e motivações.

A personalidade é o semblante externo de nós mesmos, que pode ser ou não igual ao nosso caráter.

Resumindo: “O temperamento é a combinação de características com as quais nascemos; o caráter é o nosso temperamento civilizado; e a personalidade é o “rosto” que mostramos ao próximo”.

Isto posto, voltemos, especificamente, ao conceito de Temperamento na ótica de Hipócrates, o brilhante médico e filósofo Grego que, há 400 anos antes de Cristo expôs a teoria de que há, basicamente, quatro tipos de temperamentos:  Sanguíneo, colérico, melancólico e fleumático.

Sanguíneo: receptivo, cordial, exuberante e vigoroso. Entretanto é turbulento, pouco prático, desorganizado, egoísta e emocionalmente instável.

Colérico: Intransigente, temperamento ardente, vivaz, ativo e voluntarioso. No entanto é violento, cruel, impetuoso e sarcástico.

Melancólico: analítico, abnegado, bem-dotado e perfeccionista. Entretanto é egocêntrico, pessimista, desconfiado e vingativo.

Fleumático: irreverente, imperturbável bom humor, temperamento calmo, frio e bem equilibrado. Em contrapartida é moroso e indolente, provocador e indeciso.

Diante do exposto não se pode afirmar que este ou aquele temperamento seja melhor que os demais. Cada um contém forças e riquezas, coopera com a vida de maneira digna.

Entretanto, e, para elucidar melhor o título desse resumo, extraído do livro “Temperamento Controlado pelo Espírito” queria ratificar que nenhuma pessoa é padrão de um único temperamento. Ela tem, dentro de si, a predominância de um em detrimento aos demais. 

O importante é ver o próximo de um ângulo em que predomine as suas virtudes.

 

Abílio, abril de 2010

Mais artigos do Autor.